Vida de Cristo
JESUS: O MISERICORDIOSO
(Mateus 5:7)

CAPÍTULO 5

MISERICÓRDIA: O QUE É?
Houve um certo rei (Mateus 18:23-35) que decidiu acertar as contas com seus servos. Descobriu que um servo devia 10.000 talentos - uma fortuna. Não tinha como pagar, nunca. Então, o rei mandou, "Jogue este na cadeia; venda todos seus bens, inclusive sua esposa e seus filhos!" Mas o servo implorou, "Senhor, seja paciente, pagarei tudo. Só preciso de um tempo." O rei se tocou e, surpresa de surpresas, acabou perdoando toda aquela dívida enorme. O servo saiu pulando de alegria. Mas, ao sair, ele se encontrou com outro servo que lhe devia algum dinheiro. Era só um pouco, mas o primeiro servo exigiu que pagasse. Este não podia nem pagar o pouco, então o servo que foi perdoado muito, mandou colocar o outro servo na cadeia. Agora, quem usou de misericórdia? O rei ou o servo? Claro, foi o rei, porque ele se tocou com a situação ruim do outro e fez o que podia para a aliviar.

Jesus foi andando com seus discípulos num dia de sábado (Mateus 12:1-8). Estava na hora de comer e os discípulos estavam com fome. Passaram por um campo plantado de milho pronto para a colheita. Aí surgiu a drama: homens famintos, olhando para o milho na sua frente. Um grupo de fariseus observaram estes homens, pensando, '~ o sábado. Não é permitido trabalhar no sábado. Será que vão comer? Se comerem, nós os pegaremos." O que é que Jesus vai fazer? Atender às necessidades dos discípulos mas provocar a ira dos' fariseus? Ou ceder às tradição dos fariseus mas deixar os homens passar fome? O que a misericórdia faria?

O Misericordioso colocou como prioridade as necessidades dos homens, e na realidade, isso não chocou com a lei de Deus, que foi colocado para abençoar o homem. Só chocou com as tradições dos hipócritas que inventaram regras e cargas que nem eles mesmo podiam suportar. A misericórdia atende às necessidades das pessoas acima das suas regras e costumes.

Religião sem misericórdia é vazia e morta, e não é de Deus. Ninguém que excluir a misericórdia da sua vida poderá de verdade dizer que segue a Cristo. No julgamento, Cristo vai dizer àqueles que não são misericordiosos: "Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos, porque tive fome, e não Me destes de comer; tive sede, e não Me destes de beber; sendo forasteiro, não Me hospedastes; estando nu, não Me vestistes; achando-Me enfermo e preso, não fostes ver-h·le." E eles Lhe perguntarão: "Senhor, quando foi que Te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso, e não Te assistimos?" Então lhes responderá: "Em verdade vos digo que sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a Mim o deixastes de fazer" (Mateus 25:41-45). A misericórdia é parte essencial do Cristianismo verdadeiro.

"Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia", disse Jesus. Misericórdia é quando sentimos dor no coração por causa da situação ruim de outras pessoas. Mas não é apenas sentir, é agir para aliviar e ajudar. Muitas vezes, todos nós sentimos dores e necessidades. Sem dúvida, ficamos carentes de uma palavra amiga, de um gesto de misericórdia. Pessoas ao nosso lado sentem as mesmas coisas e necessitam também de uma palavra amiga, de um gesto de misericórdia.

Em Mateus 5:7, Jesus nos ensina que o nosso cuidado e afeto à pessoa ao nosso lado será recompensado por Deus: "alcançarão misericórdia." Jesus disse em Mateus 6:14 que "se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará." Realmente a pessoa misericordiosa será abençoada. Ela vai sentir que sua vida e: de grande valor e também pode ter a certeza que Deus está observando com muito agrado.

JESUS NOSSO EXEMPLO:

Não há pessoa que se compare com Jesus. Ele andava com agenda cheia no dia a dia, mas sempre achou tempo para parar e atender as necessidades dos homens. Ajudar não era perda de tempo para Cristo. Seus valores eram muito diferentes das prioridades do mundo. Já percebeu isto? Ao descer do monte, após longo tempo de sermão, encontrando-se com um leproso, Jesus estava disposto a ajudá-lo. "...estendendo a Sua mão, o curou" (Mateus 8:3). Cristo é misericordioso. Por ser misericordioso, Ele atendia ao tipo de pedido que nós achamos incomodo às vezes. Não lemos nenhuma vez na Bíblia que Jesus se encontrou com um necessitado pedindo ajuda e Ele não usou de misericórdia. Você lembra de Jesus na cruz do Calvário, crucificado entre dois ladrões? Ele estava com Suas mãos cheias dos Seus próprios problemas, mas, ao ouvir o pedido de um deles, Jesus sentiu grande misericórdia. Mesmo sofrendo dores e humilhação, Ele foi capaz de perdoá-lo. Este é o nosso Jesus! Ele nos viu sujos de tantos pecados cometidos contra Deus e desceu a este mundo sujo e viveu no meio de pecadores como eu e você para usar a Sua infinita misericórdia.

O que sentimos ao ver aquelas pessoas pedindo esmolas à porta la casa, na ponte, no centro da cidade? Sabendo que eles nem têm o
que comer ao amanhecer, buscamos ajudá-los? Se queremos seguir 'esus, temos que agir como Ele agiu. Quando Cristo passava por cegos e aleijados, Ele os percebia e sempre estava pronto a ajudá-los.

APLICAÇÃO:

Segundo Marcos 4:24, ter misericórdia significa atender às necessidades das pessoas ao nosso redor. A misericórdia anda sempre alerta e age ao menor sinal de socorro. Isto acontece diariamente conosco. Cruzamos caminhos com aquela cara de ansiedade ou tristeza ou dor. Percebemos que tem algo errado que precisa de ajuda. Temos duas escolhas: ficar indiferente com aquele que está sofrendo ou nos aproximarmos e ajudar. Temos em Jesus o modelo exato de misericórdia. Tudo porque Sua vida era o reflexo do Pai. Foi Ele que disse: "Sede misericordiosos, como também e misericordioso vosso Pai" (Lucas 6:36).

Muitas vezes queremos justificar a nossa negligência por não conhecermos as pessoas. Em Lucas 10:25-35, Jesus nos ensina sobre esse sentimento solidário. Note que dois judeus passaram casualmente por aquele caminho, mas desviaram à sua aproximação. Eles tiveram oportunidade para ajudar aquele homem, mas as preocupaçdes da vida, o medo de uma cilada e a indiferença os impediram de agir com misericórdia. Note, porém, o bom exemplo do samaritano. Ele, em viagem, era um homem ocupado com responsabilidades e compromissos, mas interrompeu tudo para ajudar o próximo. Também nós precisamos ficar com olhos abertos para tais oportunidades. Quando o samaritano viu o necessitado, passou bem perto, queria ver o problema invés de se esconder dele. Todos nós sempre passamos por estas oportunidades. O que nos impulsiona ou impede não é a nossa educação, talento, posição social, nem recursos financeiros. É a medida de nossa misericórdia.

O samaritano chegou ao homem sem medo ou vergonha. São as pessoas que vêem e não ajudam que devem sentir medo e vergonha. A igreja não é um ~osteiro para fugir das realidades do mundo, mas é um corpo de ação. O samaritano não tinha medo de sangue. Ele aplicou o remédio e tocou nos ferimentos. O cristão não pode tem medo de sangue. Alguns, ao ver a necessidade, perguntam: "O que eu vou receber em troca se ajudar?" Outros dizem: "Não há esperança, eu estou perdendo o meu tempo." Mas o misericordioso continua dando socorro. Com o samaritano, não importava a cor, raça ou religião da pessoa necessitada. Ele não pediu a sua carteira de identidade, CPF, renda mensal e três referências para decidir se ajudaria ou não. Estava ferido, era urgente, então ele ajudou!
O que faria você passando numa avenida principal, vendo um estrangeiro gravemente ferido, sendo numa hora da madrugada? Usar de misericórdia envolve riscos também. Aquele samaritano poderia ter caído numa cilada de ladrões. Mas seu sentimento foi mais forte do que os riscos. Quanto maior foi o de Jesus ao subir naquela cruz vergonhosa por causa dos nosso pecados.

Uma antiga tradição conta que uma mulher do povo, sentindo misericórdia de Jesus que caminhava para o Calvário, tomou uma toalha e enxugou-lhe o rosto. O gesto daquela mulher não alterou em nada o seu sofrimento. Mas Ele, Cristo, ficou tão sensibilizado que deixou o seu rosto impresso na toalha.

Mesmo sendo lenda, todos nós sabemos que diante dos sofrimentos e da doença do irmão, muitas vezes os recursos de que dispomos não são suficientes. A única coisa que ainda podemos oferecer é a nossa presença expressa numa palavra amiga, num gesto de misericórdia. Quem ousaria negar-lhe até isso?
O evangelho de Lucas conta que enquanto Cristo, na horta das Oliveiras, estava imerso em sofrimento a ponto de suar sangue "apareceu-Lhe um anjo que o confortava" (Lucas 22:43). O anjo, na verdade, não alterou o destino de Jesus. Sua determinação de morrer na cruz para nos perdoar continuou, e a morte aconteceu. Teria sido inútil aquela ação do anjo? E foi em vão Jesus morrer na cruz para derramar a Sua misericórdia através do Seu sangue? Sabemos que não! Nunca é em vão usar de misericórdia para com uma pessoa sofrendo, necessitada, com medo ou perdida.

Faça a decisão agora, que você vai ajudar o necessitado, o estranho, o rejeitado. Que vai emprestar dinheiro a quem não pode pagar de volta. Que vai perdoar alguém que lhe ofendeu. Que vai dar mais uma chance a que lhe falhou. Que vai tratar bem o irmão afastado, fraco, inativo, devagar. Que não vai pisar nas pessoas derrotados e ignorantes. Que não vai pregar na parede o irmão que caiu no pecado. Que vai fazer uma coisa para aliviar o sofrimento de um dos milhares de mendigos e menores de rua. Que vai olhar para todo ser humano como se fosse Jesus precisando de você.

AUTO EXAME: Responda as perguntas para medir sua misericórdia.
  1. Você convida pessoas para sua casa que não podem retribuir
  2. sua hospitalidade?
  3. Você dedica algum dinheiro cada semana para ajudar os necessitados?
  4. Você tem dificuldade em perdoar quem feriu você?
  5. Você tem falado de Jesus com um descrente esta semana?
  6. Você se sente grato por tudo que Deus fez por você?
  7. Você visita os doentes em casa ou no hospital?
  8. Você daria outra chance a uma pessoa que la roubou de você?
  9. Você consegue esquecer as ofensas feitas contra você?
  10. Você evita conversar com pessoas humildes?
  11. Você já recebeu a misericórdia de Deus?<


Voltar ao inĂ­cio da pagina